segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Intime Comédien

Detesto o bater dos ponteiros,
e o sentir das horas passar.

Odeio a gota caindo, e o papel que esta,
apesar de saber que é inútil,
vai tentar disfarçar.

Me enoja a impotência, e tudo que esta significa,
pois sei que por mais engraçado,
no fundo ainda fica, como um alfinete meticulosamente atravessado,
a terrível dúvida de um Pierrot apavorado.

Odeio a falsidade, e tudo, e todo fingir
impensável sensação que me dá
parece que vou cair.

Simplismente me deixo levar,
e mesmo ciente disso
choro haverá,
mas assim permanecerá...

Pois estamos num eterno retorno,
e outra vez, tal situação só irei evitar.

Tantos segredos e coisas vividas,
o sorriso e a noite que me cercaram,
de tanto me divertir, bloquearam
minha verdadeira visão do existir

A melancolia de estar sozinho e moribundo
e de ser somente um astro vagabundo
não irão em nenhum momento me acomodar,

vou pegar este sentimento,
e gastar cada segundo,
com a condição mais difícil no mundo
a imposição de mesmo triste,
a todos nesse universo alcançar.


Júlio Cézar

sábado, 22 de agosto de 2009

Muitos me aconselham de todas as maneiras e de vártios jeitos a perseguir o meu sonho, ir atrás do que eu quero, mergulhar de cabeça e ir fundo naquilo que eu desejo, em nenhum só minuto deixei de pensar dessa forma e de me focar no objetivo, concentrar-me e tirar o máximo de mim como um atleta de maratona faz nos seus 100 m finais, superando corpo e mente... O que não me disseram é que nem sempre teremos o apoio, algumas horas estaremos sozinhos e justamente esse momento vai nos mostrar nosso limite, não me disseram que algumas vezes pessoas irão me desapontar, mas que Deus cuide das ações dos outros pois ódio no coração irá consumir você também, não me ensinaram que as pessoas são imperfeitas e que estão sujeitas ao erro, não me falaram que nada sai como planejado e que a vida é um espetáculo, aberto a partir de um piscar de olhos...

sábado, 15 de agosto de 2009

Uma eternidade...

E se fôssemos imortais??? E se vivêssemos no incrível universo onde não evelheceríamos sequer um segundo, isso traria a tristeza de não poder compartilhar tal sentimento com outro, ou simplismente nos daria a liberdade de fazermos qualquer escolha elevando-nos a categoria de Deuses???? Teríamos com isso o nosso destino decidido, e provavelmente isso aos poucos retiraria nossa vontade de viver??? E como seria amar na eternidade??? Saber que nunca morreríamos junto com o nosso amor???A eternidade vivida sem ter chance de compartilhar das dores, das sensações, dos estímulos sentidos com o passar de nossas vidas com a nossa alma gêmea??? Não com certeza não seria suportável... Quem quer viver pra sempree?!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Ser ou não ser, não importa...

Todos nós, sem excessão, sem uma única sequer excessão, somos seres perfeitamente construídos e formados para enfrentar condições extremas, e quando nosso corpo nos deixa na mão, assume o nosso cérebro para reafirmar nossa supremacia. Não temos força, mas podemos destruir o mundo, não temos agilidade, mas conseguimos perfurar uns aos outros em segundos, não temos asas mas conseguimos voar, não temos barbatanas mas nem por isso deixamos de nadar, não somos mágicos, mas mesmo assim conseguimos atingir sem deferir um toque. Nossa vida é efêmera, nossos sonhos também, somos perfeitos biologicamente, tanto que quando ocorre um pequeno defeito tudo desmorona, percorremos uma linha tênue entre vida e morte, somos forçados ao limite e nem sequer percebemos, os caminhos extremos, vivemos neles e sem a mínima noção...

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Momentos...

A vida é feita de situações... Boas, ótimas , péssimas, tristes, alegres, ou simplismente "normais".Por que temos que sentir que não dá mais??? Só pra ter o gosto de dizer que foi suado a nossa vitória; pra quê ter dúvida?? Só pra poder sentir o gosto de ter feito a escolha certa; pra quê medo??? Só pra poder sentir a emoção de tomar uma atitude; pra quê errar??? Pra sentir como é viver e ser... simplismente, humano.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Peso x Leveza

Nietzsche considera o eterno retorno o mais pesado dos fardos, mas será que o "peso" é uma força negativa??? Certamente essa discussão já mexeu muito com a mente humana, Parmênides por exemplo dizia que o mundo é um equilíbrio, cheio de opostos , bom e mal, amor e ódio, paz e guerra, tristeza e felicidade, etc. E assim como considerava todos esse aspectos opostos, também considerava peso e leveza como tais, mas a verdadeira questão é; qual é negativo e qual é positivo?? Kundera fica num impasse e diz que não é possível saber pois ficamos a mercê do momento, o peso é ruim quando nos traz dor e agonia, mas uma mulher necessita e depende do peso de um homem sobre seu corpo e o adora, a leveza nos tira do chão e nos faz levantar vôo nos deixa livres e em órbita, nos traz um espetáculo só nosso onde podemos estar o tempo que quisermos, mas também nos deixa sem pés no chão e pode acabar por nos distanciar demais da realidade, escolher então fica difícil e se torna quse impossível responder a esse impasse... Seja qual for a reposta utilizamos um pouco de cada no dia a dia e podemos dizer que por enquanto não sabemos qual o negativo ou qual é o positivo.

Hipótese do eterno retorno

Será mesmo verdade que estamos todos destinados a viver o mesmo momento já vivido várias e várias vezes??? Todos, sem excessão em algum ponto de nossas vidas vamos ter a redundância de presenciar repetidamente certa situação ou circunstância. É óbvio que ao "re- vivenciarmos" as coisas, não fazemos os mesmos aspectos da mesma maneira, senão o conceito de efêmeridade estaria falido, os conceitos se repetem mas não a maneira, por isso temos tanta fragilidade e medo em nossas decisões, tudo o que decidimos, é realizado pela primeira vez, sem treinos ou rascunhos, e isso faz das nossas vidas esboços, simplimente esboços sem quadros...

domingo, 2 de agosto de 2009

Sem palavras...

Procurando alguns dos meus violonistas preferidos como incondicional admirador dos grandes nomes da história que sou, encontrei não só um grande artista mas também encontrei um exemplo de força de vontade, com apenas 11 de idade e tendo aprendido a tocar há menos de 3 anos o talento precoce de Sungha Jung nos explica porque tudo é possível, basta começar dentro de nós... e pra você que se queixa de não conseguir continuar, isso é um tapa na cara...

video


Pois bem, pare de reclamar porque é difícil ou forçoso demais, apenas siga em frente, porque algumas horas do dia você vai fazer o que você gosta, as outras horas você vai ter que fazer o que você tem obrigação de fazer...

sábado, 1 de agosto de 2009

Talvez dramático demais...

Empenhar-se para ser só mais um mecanismo de alta e incessante produção, o lucro acima e antes de tudo... Adão e Eva devem estar orgulhosos de nós agora, crescemos, vivenciamos, evoluímos séculos apenas para voltar ao que éramos, organismos pré-programados para instituir o acúmulo, não pensamos mais nossos pensamentos, não agimos mais como queremos, não somos mais nós mesmos e pra quê??? somente para chegar ao final do dia e termos garantido a produção e o acúmulo de outras pessoas... realmente, o sistema não tem falhas...